As últimas semanas foram marcadas pela reivindicação do setor cultural português por um maior apoio às artes, protesto a que se juntou a Associação Portuguesa de Espectáculos, Festivais e Eventos (APEFE) com uma iniciativa original: baixar o preço dos bilhetes para vários espetáculos na próxima sexta-feira, dia 13.

PUB.

A ideia é que, ao longo de 24 horas, os ingressos para festivais como NOS Alive, Rock in Rio, Marés Vivas, Super Bock Super Rock, MEO Sudoeste e Vodafone Paredes de Coura passem a custar menos, como se a taxa de IVA aplicada fosse de 6% e não de 13%, como dita a lei. A estes juntam-se ainda os espetáculos de Filipe La Féria ou da produtora UAU, que assumem o mesmo compromisso.

Porquê? Antes da entrada da troika nas contas públicas portuguesas, os eventos culturais beneficiavam de uma taxa especial de 6%, valor que subiu para os 13% e assim se manteve até hoje. O objetivo da APEFE é que, através desta iniciativa, o público perceba que seria possível ter bilhetes mais baratos caso o Governo cedesse à reivindicação do setor: a reposição da taxa de IVA.

Assim, entre as 00h e as 23h59 de dia 13, a venda de bilhetes para espetáculos, festivais e eventos será concretizada com um desconto equivalente a 7%, a diferença entre o imposto desejado e aquele que é efetivamente aplicado. Além desta forma de protesto, a APEFE lançou, ainda, uma petição pública para levar o tema a discussão na Assembleia da República e que regista, neste momento, perto de 3,5 mil assinaturas.